A Galeria Virgilio inaugura no dia 10 de março, terça-feira, as mostras individuais dos artistas Adams Carvalho, com pinturas em tinta acrílica sobre telas de pequenos formatos, e Cristine de Bem e Canto, que apresenta fotografias e uma vídeo-animação, acompanhada de um cartão- postal. As mostras ficam em cartaz até o dia 02 de abril.

Adams Carvalho
Na individual de Adams Carvalho são apresentadas duas séries distintas de pinturas em tinta acrílica sobre tela.

Composta de 20 quadros de pequenos formatos, a série “Interiores” revela o grande apreço e o rigor do artista para com a composição de planos e também com a cor, resultante de um exaustivo trabalho de sobreposição camadas translúcidas de tinta. Não à toa, o visitante é chamado a acercar-se delas para apreciar a delicadeza das pinceladas, desvendando-as à medida que segue o movimento preciso do pincel em direção a um ponto de fuga sempre presente, que pode ser uma janela, uma porta, o vão de uma escada ou mesmo o reflexo de uma luz que pende do teto. Não raro, o artista se vale de espaços reais como corredores, salas de espera e escadas de incêndio de prédios públicos, que são fotografados e retrabalhados em mídia digital, para laboriosamente recriar na tela a atmosfera que eles inspiram. “Procuro transpor para a tela o clima desses espaços”, diz Adams.

A série “Não estava lá” é mais solar e vívida. Nela, o artista exibe uma paleta mais colorida, menos terrosa que a anterior. Ao invés de ambientes semifechados por onde o olhar passeia e busca uma saída, aqui são exibidos retratos de garotas recostadas à cama. Serenas, exibindo olhares fugidios, elas parecem alheias ao mundo externo, absortas num pensamento indecifrável. Em cada uma das dez telas está pelo menos um, senão vários padrões originais de estamparia, a maioria floral, o que confere à série um ar de melancolia e atemporalidade.

Residente em São Paulo desde 1999, quando ingressou no curso de Artes Plásticas na ECA USP, Adams cria ilustrações para livros, cartazes e revistas como a Revista da Folha, para onde faz ilustrações semanais desde 2006. Realiza também animações a partir de seus desenhos e matrizes digitais, algumas das quais foram exibidas e premiadas em festivais na Espanha, Peru, Argentina, Chile e Israel, além de espaços institucionais como o Itaú Cultural e os festivais F.I.L.E e Festival Internacional de Curta-metragem, no Rio de Janeiro e em São Paulo. É na pintura, entretanto, que seu trabalho artístico ganha maior expressividade. Suas pinturas são exibidas em feiras como a Pinta (Nova York), ArteBA (Buenos Aires) e a SP Arte. Participou de mostras coletivas no Ceuma (Centro Universitário Maria Antônia), Galeria Olido, MAC de Americana e o Museu de Arte de Ribeirão Preto, onde teve mostra individual em 2005

Cristine de Bem e Canto
Nesta primeira mostra individual, Cristine de Bem e Canto apresenta uma série de cinco fotos coloridas, uma série de doze fotografias, ambas realizadas em Havana, Cuba, em 2005, além de uma vídeo-animação de forte conteúdo crítico, criada a partir de fotografias da Ponte Otávio Frias, a “Ponte Estaiada”, em São Paulo.

A primeira das séries fotográficas é impressa em papel de algodão de formato 110 x 165 cm, porém a obra não compreende apenas a foto. Na montagem da exposição, cada uma das cinco fotografias vem acompanhada uma das palavras, em inglês, “Pet Shop”, “Ready Made”, “Duty Free”, “Green Card” e “Close Up”, feitas em finos tubos de PVC branco especialmente criado para elas. Não é o título da obra, mas um complemento que amplia sua leitura para além do contexto original da imagem.

Nas palavras de Cristine, “a legenda deveria dizer algo mais que a imagem mostra, porém ela somente reitera o discurso da imagem”, acerca do uso dos tubos de PVC nessa série.

“Uso a fotografia como um bloco de notas onde registro meu cotidiano e, como passar do tempo, esse material me permite reavaliar certas passagens da minha vida”, afirma Cristine, referindo-se à forma como lida com os registros de sua viagem a Cuba em 2005. Assim, a série de 12 fotografias de 40 x 60 cm é exibida como uma das possíveis leituras pictóricas dessa viagem.

Na animação de 3 minutos, feita a partir de fotos seqüenciais da Ponte Otavio Frias, mais conhecida como “Ponte Estaiada”, a artista usa versos da canção “A Ponte” do cantor e compositor pernambucano Lenine para criar uma obra de forte conteúdo político em que dá relevo à contradição evidente de uma obra pública que não reserva espaço para o ir-e-vir dos pedestres. Dada sua magnitude e complexidade de seu método construtivo, logo depois de sua inauguração, em meados de 2008, a ponte foi alçada a status de cartão-postal da cidade de São Paulo por diferentes veículos de comunicação. Num gesto de ironia, a artista criou um cartão-postal, distribuído gratuitamente aos visitantes da exposição, que tem como primeiro plano um dos milhares “gatos” num poste de energia elétrica da vizinha favela do Real Parque e, como plano de fundo, a grandiosa ponte.

“Não foi fácil fazer esse registro de imagens, já que a Prefeitura parece não gostar que se percorra a estreita calçada que termina num entroncamento de vias no meio da ponte”, atesta a artista.

O trabalho fotográfico de Cristine de Bem e Canto começou com tenra idade, porém foi sua experiência com fotojornalismo no Correio do Povo e a publicidade, ainda em Porto Alegre, onde se graduara em Comunicação Social e também em Artes Plásticas, que lhe abriu campo para as questões que hoje explora nas artes visuais. Mestre pela ECA USP em 2003, a artista desenvolve estudos sobre a imagem fotográfica como documento do real e também da representação da ficção. Atualmente, é professora de Fotografia no curso de Design da Faculdade Anhembi Morumbi, em São Paulo.

Participou de coletivas no circuito artístico de Porto Alegre nos anos 1990 em espaços como o Espaço Cultural Joan Miró, a Pinacoteca Barão do Santo Ângelo e o Instituto de Artes da UFRS. Com a mudança para São Paulo, no início dos anos 2000, participou do Salão de Artes das cidades de Santo André e Piracicaba, além de mostras coletivas no MuBE e no MIS SP.


rua dr. virgilio de carvalho pinto 426 Pinheiros - 05415-020 São Paulo SP - (5511) 3062-9446 / 2373-2999 -