A Galeria Virgilio inaugura nesta terça-feira, dia 10 de fevereiro, às 20h, as mostras individuais dos artistas Fernando Burjato, que apresenta pinturas em óleo sobre diversos suportes, e de Renata Pedrosa, que exibe duas vídeo-instalações. As exposições ficam em cartaz na galeria até o dia 4 de março.

Fernando Burjato
No piso térreo, Fernando Burjato exibe 12 desenhos em guache sobre papel e uma série de 10 pinturas em tinta a óleo sobre diversos suportes, desde tela, MDF, chapa de metal ou resina e até mesmo caixas de sapato.

Nas pinturas, de variados tamanhos e cores bastante vivas, a tinta é aplicada em inúmeras camadas - em alguns casos mais de cem - e com freqüência sua matéria extrapola os limites do suporte, transbordando para os lados e criando rebarbas, conferindo um contorno irregular aos quadros.

Para o artista, “tratam-se de pinturas onde o ruído é tão importante quanto a organização, onde as relações entre as cores muitas vezes dá lugar ao encantamento pela cor em si, onde a sensualidade da superfície pictórica e a sedução da cor se encontram com um irônico comentário sobre a tradição da pintura”.

Fernando Burjato, nasceu em 1972 em Ponta Grossa, PR, e se formou em 1994, em Curitiba, pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP). Vive em São Paulo desde 1996. Participou de mostras individuais no Centro Cultural São Paulo (1996), no Memorial da Cidade de Curitiba (1998), no Centro Universitário Maria Antonia (2002) e no Museu da Gravura de Curitiba (2004), assim como de diversas exposições coletivas, desde 1991. Em 2000, publicou o livro de contos Cabeça, corpo, caveira e alma, pela Bom Texto Editora (RJ). Desde então, teve contos publicados em periódicos, como as revistas literárias Ficções e Et Cetera e o jornal Rascunho.

Renata Pedrosa
Intitulada “64 Desenhos para 2 Projeções”, a individual da artista compreende as vídeo-instalações “De Meio em Meio” e “Nome”, onde são exibidos dois filmes distintos, criados a partir de 64 desenhos em grafite sobre papel A4, que também estão em exibição no segundo andar a galeria.

A instalação “De meio em meio” parte de uma fotografia de dois prédios em construção na cidade de São Paulo que é copiada à mão 40 vezes em grafite sobre papel vegetal. Cada um desses desenhos é transferido para um papel milimetrado, onde a artista reforça os traços gradativamente a cada meio centímetro. No filme, os desenhos são exibidos primeiramente em ordem crescente e depois decrescente, acompanhando a cadência da composição “Konsti”, do músico finlandês Mika Vainio.

Para a realização de “Nome”, a artista criou 24 desenhos, também a partir de fotografias, que mostram um percurso de carro sobre a Ponte Estaiada - ponte que conecta a Av. Jornalista Roberto Marinho à Marginal Pinheiros, em São Paulo. São esses desenhos a base para a criação do filme, que é exibido sobre um grande desenho em papel japonês translúcido medindo 250 x 200 cm. Tal qual na outra instalação, a trilha sonora define o ritmo da projeção das 24 imagens, porém para esta, a artista escolheu a musica “Qual é o seu nome?” do rapper carioca BNegão - simulando a visão do percurso feito por um veículo.

Em 1999 Renata Pedrosa recebeu bolsa da Fundação Pollock-Krasner (Nova York). É mestre em Poéticas Visuais pela ECA-USP e leciona em cursos livres desde 1998. Em 2002 começou a fazer intervenções públicas em cidades como São Paulo, Blumenau e Brande, na Dinamarca. No ano de 2005, foi orientadora no “Laboratório de Artes Visuais” – encontros experimentais de estudo, produção e discussão de artes visuais, no Depto. de Artes Plásticas da ECA-USP, SP. No ano passado, lançou uma publicação com 100 exemplares, apresentando suas intervenções. Atualmente leciona o curso “Produção de Imagens à partir do Cotidiano” no Collegio das Artes, em São Paulo, e pesquisa as possibilidades de uso do desenho em mídias eletrônicas.


rua dr. virgilio de carvalho pinto 426 Pinheiros - 05415-020 São Paulo SP - (5511) 3062-9446 / 2373-2999 -