voltar    
Paisagem: um portal

Dentre os gêneros clássicos da arte figurativa, como o retrato, a naturezamorta e o nu, a pintura de paisagem é a que preserva o maior interesse do público e dos artistas. A concorrência da fotografia, que desde sua invenção busca incorporar as temáticas da pintura, acabou tomando não apenas uma parte do mercado, mas também uma parte da representação destes gêneros. O nu, por exemplo, seja ele artístico ou não, tem sido muito mais frequente na fotografia do que pintura. Os retratos pintados também, estão cada vez mais raros. O mesmo acontece com a naturezamorta, que se tornou um gênero bem explorado por diversos outros meios, a escultura, instalação, objeto, video e foto.

A pintura de paisagem traz um conjunto de soluções plásticas e de composição que a fotografia tem dificuldade de substituir, daí possivelmente vem a resiliência do gênero. Por exemplo, a contemplação de uma composição figurativa com toques de pintura abstrata, solução recorrente na obra de Mariana Mattos, a representação do vazio, da amplitude espacial, o desenho esquemático, a síntese dos elementos da imagem e a modelagem das formas em pinceladas agressivas. Todos estes tratamentos permitem formas sugeridas e nem tanto literais, transmitem leveza e ambiguidades típicas das poéticas visuais. O grande formato, que facilita a contemplação da paisagem e o impacto da obra, também é um recurso mais fácil de ser obtido pela pintura, do que pela fotografia, ja que não depende de processos frios e reprodutíveis da grande ampliação, colagem, moldura e vidro. A pintura então conserva dois pilares de fetiche da arte, a unicidade e a materialidade.

No processo de criação, Mattos utiliza referências de imagens como pontos de partida da composição. Num segundo momento a referência é descartada e o processo ganha autonomia, quando a artista altera as cores e formas a tal ponto que se aproxima da paisagem imaginária. A desconstrução da figura está mais acentuada nesta nova série, a paisagem tornase quase um pretexto para a pintura. O quadro vai assim além da janela, é
um portal para uma infinidade de outras questões.

Ricardo Ramalho
Galeria Virgilio

Texto da exposição individual de Mariana Mattos
de 24 de Fevereiro a 24 de Março 2015

 
 
by artebr.com